burburinho

festival das estrelas

miscelânea por Ricardo Bittencourt

Em noites de lua cheia o céu fica tão claro que a beleza das estrelas fica um pouco ofuscada. Mas nem por isso suas histórias deixam de ser menos interessantes. O Festival das Estrelas, também conhecido como Tanabata Matsuri ou Hoshi Matsuri, é comemorado no sétimo dia do sétimo mês de cada ano. Como o próprio nome diz, é um festival japonês dedicado a estrelas; duas em especial: Vega e Altair.

Reza a lenda que, há muito tempo, Ten-Kou, o deus celeste, tinha uma filha, Orihime (a estrela Vega) que era a encarregada de tecer as roupas dos deuses em uma máquina especial chamada tanahata (talvez disto venha a palavra "tanabata"). Preocupado com sua filha, que só queria saber de trabalhar, Ten-Kou teve a idéia de apresentar-lhe um jovem que morava do outro lado do rio Amanogawa (também conhecida como Via Láctea). Kengyu (para nós a estrela Altair) era um boiadeiro, tão trabalhador quanto Orihime. Amor à primeira vista! Eles se apaixonaram e passavam tanto tempo juntos que já não cuidavam mais de suas obrigações como antes. Os deuses já não tinham o que vestir e as vacas de Kengyu estavam doentes ou mortas por descuido.

A atitude dos jovens amantes deixou Ten-kou furioso. Assim, o deus celeste mandou que os dois se separassem, levando Kengyu até o outro lado de Amanogawa. Orihime e Kengyu ficaram tão tristes que assim mesmo não retomaram suas obrigações. Ten-kou, com pena, decidiu que eles poderiam se encontrar, uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês, caso eles trabalhassem duro durante o tempo em que ficassem separados. Nesta ocasião, as duas estrelas se sobrepõem. E aqui na terra comemora-se o festival.

A lenda ainda diz que o céu deve estar claro para que as duas estrelas possam se encontrar. Caso o céu esteja nublado, o encontro será possível somente no próximo ano. Surgiu, então, a tradição de escrever pedidos em papéis coloridos e pendura-los em varas de bambus durante o festival. A priori, os pedidos deveriam ser destinados tão somente ao sucesso no encontro de Vega com Altair. Porém, com o tempo, a tradição foi se transformando e os pedidos para que Vega e Altair pudessem se encontrar foram substituídos por desejos pessoais.

Acredita-se que esta é uma lenda originária da China. O curioso fica por conta do fato que, no calendário chinês, na noite clara do Tanabata Matsuri também é época de lua crescente. Diz-se que a meia lua é o barco que conduz as estrelas através da Via Láctea. Existem variações sobre o mesmo tema. Numa das províncias de Kyoto, o Festival das Estrelas é realizado no mês de fevereiro. Nesta festa, idealizada pelo mestre budista Seiyu Kiriyama, também é possível fazer pedidos utilizando-se gomakis, que são pedaços de madeira, para escrever os pedidos e estes devem ser atirados em uma das duas enormes fogueiras acessas para o evento. Uma das fogueiras é destinada aos pedidos de oração aos antepassados para que o fogo sagrado liberte as almas sofredoras. A outra fogueira é alimentada por gomakis com pedidos pessoais tais como saúde, dinheiro e felicidade nos relacionamentos amorosos.

Na última edição do Festival das Estrelas em São Paulo, ocorrido no Bairro da Liberdade, os pedidos escritos em papéis coloridos e pendurados nos bambus foram levados a um templo budista no interior do estado para serem queimados numa fogueira de tal forma que a fumaça tocaria as estrelas, facilitando o trabalho de realização de desejos. Porém, quem já foi na Liberdade sabe que lá não tem bambu algum! A solução encontrada foi trazer um monte de bambus sabe-se lá de onde, e pendurá-los nos postes de iluminação, para as pessoas colocarem seus desejos.

Dependendo do desejo, ele é escrito em um papel de cor diferenciada. Assim, pedidos de saúde ficam nos papéis brancos, pedidos de amor ficam nos papéis vermelhos, e assim por diante. Mas, disparado, a cor mais predominante era o amarelo, para pedidos de "okane" (dinheiro). Eu acabei não pendurando desejo nenhum. A única idéia que me passou pela cabeça foi pendurar um papel escrito "eu desejo que esse desejo não se realize", mas fiquei com medo de um tilt celestial! De qualquer maneira, seria difícil tirar o título de "desejo mais bizarro" de um garoto que pendurou o seguinte desejo: - Eu desejo que o Chapolim volte a passar na tv!


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.