burburinho

cavalos famosos

miscelânea por Nemo Nox

O grito "aiô, Silver!" tornou o cavalo do Lone Ranger um dos mais famosos eqüinos da televisão. Silver, porém, é somente um dos muitos cavalos que ganharam fama ao lado de seu cavaleiro (e aqui não incluímos os que tiveram carreira solo, como Mr. Ed, o cavalo falante, ou Pégaso, o cavalo voador, e sim os que prosperaram como coadjuvantes de personagens igualmente famosos).

Silver tornou-se o cavalo do Lone Ranger ainda na série de rádio, que foi transmitida a partir de 1933 e teve quase três mil episódios. O sucesso levou a série a ser adaptada para livros, quadrinhos, cinema e televisão. Antes de sair em disparada montado em seu garboso cavalo branco, o herói mascarado gritava "aiô, Silver!" (ou, no original em inglês, "hi yo, Silver, away!"), o que muitas vezes abria caminho para a música-tema da série, a galopante abertura da ópera Guilherme Tell, de Rossini. O companheiro humano do Lone Ranger, o índio Tonto, também tinha um cavalo, chamado Scout, que nunca atingiu a fama de Silver.

No Brasil, a série de tv The Lone Ranger foi desastradamente chamada de Zorro, quando este era o nome de outro herói mascarado. O verdadeiro Zorro não lutava contra as injustiças no velho oeste dos EUA e sim no velho México, e nasceu na literatura popular, num livro de Johnston McCulley, The Curse of Capistrano, de 1919. Depois disto passou pelas telas grandes (interpretado por Douglas Fairbanks, Tyrone Power, Anthony Hopkins e Antonio Banderas, entre outros) e pequenas (Guy Williams foi o Zorro da televisão antes de protagonizar Lost In Space). Seu cavalo, também muito menos famoso que Silver, chamava-se Tornado.

Muitos cowboys do cinema e da televisão, colocaram seus companheiros eqüinos em evidência. O de Roy Rogers chamava-se Trigger, o de Hopalong Cassidy era Topper, Cisco Kid tinha Diablo, Tom Tyler cavalgava Ace, Tom Mix tinha Tony. Cowboys dos quadrinhos também tinham montarias que eram personagens coadjuvantes tão ou mais importantes que alguns humanos que apareciam nas histórias, com duplas famosas como Tex Willer e Dinamite ou Lucky Luke e Jolly Jumper.

Na literatura, alguns cavalos que acompanham os heróis também ficaram célebres, e entre eles talvez o mais famoso seja a montaria de Dom Quixote, Rocinante, um eqüino tão magro e quase tão quixotesco como seu dono e certamente elemento importante usado por Miguel de Cervantes para caracterizar seu anti-herói. J.R.R. Tolkien, autor de The Lord of the Rings, sem dúvida considerava os cavalos como bons companheiros para seus personagens, pois não só criou um reino de cavaleiros, os Rohirrim, mas também combinou seus protagonistas com cavalos de personalidade própria: Gandalf e Shadowfax, Théoden e Snowmane, Legolas e Arod, Aragorn e Hasufel (no decorrer da trilogia, Aragorn recebe de presente outro cavalo, Roheryn, mas é com Hasufel que estabelece um elo que acabará por lhe salvar a vida), entre outros.

Não só na ficção, os cavalos se destacaram como leais companheiros, e muitos eqüinos entraram para a história pela importância na vida de seus donos. Um dos mais famosos foi Comanche, o único sobrevivente da batalha de Little Big Horn onde as tropas de George Armstrong Custer foram dizimadas pelos nativos liderados por Touro Sentado. Um dos cavalos mais importantes da história militar foi Bucéfalo, domado por Alexandre o Grande quando tinha doze anos de idade e montado por ele em muitas das batalhas da expansão do seu império. Alexandre gostava tanto de Bucéfalo que após a sua morte mandou erguer uma cidade em sua homenagem, Bucéfala (possivelmente onde hoje fica a cidade de Jhelum, no Paquistão). Mais longe ainda nas homenagens eqüinas foi Calígula, que não satisfeito em dar a Incitatus um estábulo de mármore com dezoito servos que o alimentavam com aveia misturada a ouro em pó, ainda sugeriu que seu cavalo poderia ocupar o posto de cônsul, uma das posições políticas mais altas do Império Romano.

A trote ou a galope, muitos outros cavalos são dignos de figurar numa lista de eqüinos famosos. Mas será algum deles mais popular que o companheiro do Lone Ranger? Aiô, Silver!


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.