burburinho

tom & jerry

televisão por Flávio P.C. dos Santos

Um dos mais populares desenhos animados de todos os tempos é também um dos mais antigos, com mais de cinqüenta anos de idade. Tom e Jerry fizeram (e ainda fazem) história na tv e no cinema. Os responsáveis por esse sucesso são William Danby Hannah e Joseph Roland Barbera, fundadores dos estúdios Hannah-Barbera.

Com tantos anos de existência, Tom & Jerry passou por muitas fases e momentos diferentes. A trajetória bem-sucedida começou em 1939 quando o produtor Fred Quimby pediu para Hannah e Barbera, então funcionários da MGM, criarem um curta-metragem animado. Foi produzido Puss Gets the Boot, em 1940, estrelando um gato que curiosamente se chamava Jasper e um rato ainda sem nome. A partir dali, a idéia de um gato viver perseguindo incansavelmente um rato começou a ser explorada. Mais e mais episódios produzidos, o gato passou a se chamar Tom, o rato recebeu o nome de Jerry, e as loucuras que os dois faziam eram extremamente engraçadas e surpreendentes. Tom & Jerry caiu no gosto do público, que na época assistia seus episódios na telona do cinema, e conseqüentemente ganhou posição de destaque na MGM.

Durante dezoito anos, Hannah e Barbera produziram cerca de duzentos episódios de Tom & Jerry. As verdadeiras batalhas entre os dois animaizinhos eram criadas por uma técnica de animação impecável e praticamente artesanal. As perseguições eram divertidíssimas e sempre acompanhadas de boa música, normalmente um jazz tradicional ou uma big band. As armadilhas e maldades que cada um preparava para o outro davam o toque final nessa relação de arqui-inimigos que existia entre os dois. Não eram raras as vezes em que Jerry soltava uma bigorna na cabeça de Tom ou em que Tom arquitetava planos mirabolantes para torturar Jerry. Mas a forma que toda essa briga chegava ao público, fazia tudo parecer uma brincadeira, portanto, se tornava algo leve e agradável. Era uma violência irônica, fantasiosa, que passava quase despercebida. A série nesse período ganhou sete Oscars e Tom e Jerry chegaram a contracenar com Gene Kelly e Esther Williams.

Mas com a popularização da televisão, as coisas foram mudando e a produção de desenhos para o cinema já não era um negócio tão seguro. Entre 1956 e 1957, Fred Quimby se aposentou, Hannah e Barbera decidiram produzir desenhos animados para tv e a MGM fechou a sua divisão de desenhos animados. Tom & Jerry ficou sem ter um episódio novo até o início da década de 60, época que a MGM decidiu trazer de volta a série de tanto sucesso. Desta vez, a produção ficou a cargo de Gene Deitch. É claro que as diferenças entre o primeiro Tom & Jerry e o de Deitch foram inevitáveis. Nessa nova fase, as perseguições continuaram e a base da série se manteve, mas a animação não tinha a mesma qualidade, pois a série já não contava com tanto orçamento como nos anos 40 e 50, e além disso os animadores eram outros, portanto, nem Tom e nem Jerry agiam da forma de costume, seus movimentos eram diferentes. Deitch e sua equipe produziram treze episódios entre 1961 e 1962.

A nova fase de Tom & Jerry veio em 1963 com Chuck Jones, animador saído da Warner Brothers. Os personagens foram remodelados, Tom e Jerry receberam um novo visual que se assemelhava mais ao estilo de Pernalonga, mas seus episódios ainda traziam as mesmas brigas entre gato e rato. Depois de 34 episódios, em 1967 a MGM decidiu novamente parar de produzir a série. Essa pausa durou até 1975, quando a dupla Hannah e Barbera resolveu tomar a frente de uma nova fase de Tom & Jerry. Desta vez, as brigas e perseguições entre Tom e Jerry ficaram um pouco de lado. Quando foi reiniciada a produção da série, houve uma preocupação com a violência apresentada pelos episódios tradicionais. Para evitar reclamações ou até protestos de alguns grupos de pais mais radicais, a essência da série teve de ser alterada. O gato e o rato agora participariam juntos na solução de mistérios e tramas. Mas a idéia de aproximá-los para colaborarem entre si, mesmo tendo sempre uma ou outra briguinha, não agradou muito. Já em 1989, surgiu Tom & Jerry Kids estrelado pelos filhos da dupla cinqüentona, e nesta nova versão os filhotinhos perseguem um ao outro como seus pais o faziam.

São poucos os desenhos animados com o fôlego de Tom & Jerry. Durar cinqüenta anos, enfrentando diferentes fases, diferentes equipes e ainda mudança de veículo (cinema para tv) não é tarefa simples. E até hoje é fácil encontrar um canal que ainda passe os vários episódios do gato que um dia já foi Jasper e vivia atrás de um ratinho sem nome.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.