burburinho

conversa com peter tork

entrevista por Nemo Nox

Lembra do loirinho avoado da série televisiva dos anos sessenta The Monkees? Pois ele continua na ativa, tocando blues à frente da banda Shoe Suede Blues.

Burburinho - Você gosta de ser sempre lembrado como um dos Monkees ou acha que isso é injusto com a sua carreira posterior?
Peter - Na verdade eu não penso muito nisso, principalmente por saber que não depende de mim, é o público que seleciona o que lembrar e o que esquecer.Dito isto, tenho que admitir que em geral gostei da atenção que tive por causa dos Monkees.

Burburinho - Depois da série The Monkees, você apareceu em algumas sitcoms (The King of Queens e 7th Heaven, por exemplo), mas nunca como personagem principal. Por que você não continuou a carreira televisiva?
Peter - Resolvi concentrar minhas energias na música, onde acho mais fácil me satisfazer como artista. As únicas vezes que me satisfiz como ator aconteceram há muito tempo, enquanto me satisfaço como músico todas as noites que toco e muitas vezes quando estou só brincando com o piano ou o violão em casa. Às vezes até na trompa.

Burburinho - Você teve uma educação clássica (se não estou enganado, chegou a se apresentar tocando Bach ao piano), depois se tornou um astro pop com The Monkees, e agora tem uma banda de rock e blues. São fases da sua vida musical ou você ainda gosta de todos esses gêneros?
Peter - As duas coisas. Foram fases, e eu ainda adoro todos esses gêneros. É possível que o blues sempre tenha sido meu preferido, mas a verdade é que eu não tinha confiança para tocar blues até recentemente. E Bach ainda é transportational.

Burburinho -Quantos instrumentos você toca? Qual o seu preferido?
Peter - Toco, em ordem descendente de habilidade: piano, guitarra, banjo, baixo, trompa, e arranho em vários outros que não tocaria em público, a não ser talvez alguns acordes na harmônica. Cada um é o favorito para diferentes momentos e objetivos, não poderia escolher um só a não ser se houvesse um limite de peso.

Burburinho - Que música você ouve? E quem são seus heróis?
Peter - Ouço blues. Os mestres são meus heróis. Muddy Waters, B.B. King, Albert King, Freddie King, etc. Também sempre tive a maior estima pelo Pete Seeger, estima que só aumentou com o tempo.

Burburinho - Sua banda Shoe Suede Blues já tem quase dez anos. Como você compara essa experiência com The Monkees?
Peter - É difícil fazer qualquer comparação. The Monkees foi uma educação no mundo comercial da música pop, com apelo de massa. Shoe Suede Blues é uma exploração do poder da música sobre mim mesmo, e como expressão direta da unidade dos oprimidos.

Burburinho -Qual a sua canção preferida dos Monkees? Por quê?
Peter - Minha canção preferida dos Monkees é Riu Chiu, que cantamos a capella no episódio de natal. Acho que foi onde atingimos o ápice da nossa unidade musical, cantando juntos de uma forma que nunca tínhamos feito antes e nunca fizemos depois. Não dá para saber quem está cantando o que no coro. Também cantamos ao vivo para a câmara, o que já não se faz hoje em dia. Além disso, acho que é uma peça musical extraordinariamente poderosa. Entre os sucessos, meu preferido é Pleasant Valley Sunday. Entre os projetos dos Monkees, meu favorito é Headquarters, com Justus bem perto em segundo lugar.

Burburinho - Ainda vamos ver os Monkees tocando juntos novamente?
Peter - Provavelmente não. Acho que as diferenças de personalidade fazem que isso seja impossível. Nunca digo nunca, mas é muito difícil.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.