burburinho

star trek: the cage

televisão por Nemo Nox

Um dos episódios menos conhecidos da cultuada série Jornada nas Estrelas (Star Trek), é exatamente o primeiro, The Cage. Produzido em 1964, foi rejeitado pela NBC e não chegou a ser transmitido.

A série só convenceria os executivos com a história seguinte, Where No Man Has Gone Before, escrita por Samuel Peeples e dirigida por James Goldstone. The Cage foi escrito pelo próprio Gene Roddenberry, o criador de Star Trek, e teve direção de Robert Butler. A nave USS Enterprise é enviada numa missão de resgate ao planeta Talos IV, onde deveriam encontrar os sobreviventes da SS Columbia. Descobrem, porém, que somente uma tripulante está viva, mantida em cativeiro pelos Talosians, uma raça capaz de controlar a mente humana com ilusões.

O capitão da Enterprise ainda não era o lendário James T. Kirk, interpretado por William Shatner, mas sim Christopher Pike, vivido por Jeffrey Hunter. Pike voltaria a aparecer na série no episódio The Menagerie, agora confinado a uma cadeira de rodas e desejoso de voltar a Talos IV para submergir num mundo de ilusão.

Foi em The Cage que Spock, interpetado por Leonard Nimoy, apareceu pela primeira vez no posto de oficial de ciências da Enterprise. Como o capitão seria substituído já no episódio seguinte e outros tripulantes famosos, como Bones, Uhura ou Chekov, só apareceriam mais tarde, Spock é definitivamente o veterano de Star Trek. Mesmo que neste episódio piloto sua personalidade híbrida de vulcano e humano ainda estivesse em fase de formação. Quem imaginaria Spock sorrindo ao admirar um flor?

Outro personagem importante em The Cage é a oficial Number One, posição com a patente de tenente e a responsabilidade de segundo-em-comando na nave. Interpretada pela morena Majel Barrett, Number One teria um lugar cativo na série, não fosse a NBC insistir que o público não estava preparado para ver uma mulher em posição tão elevada no comando de uma espaçonave. Roddenberry optou por não a substituir, e a posição de Number One só voltou a ser ocupada em Star Trek - The Next Generation, por William T. Riker (Jonathan Frakes). Mas mesmo com o seu personagem eliminado dos episódios seguintes, Majel Barrett continuou a ser presença assídua em Star Trek. Com cabelos loiros, passou a ser a enfermeira Christine Chapel, mais tarde promovida a médica na série cinematográfica. E em Star Trek - The Next Generation interpretou Lwaxana Troi, mãe da conselheira da Enterprise Deanna Troi e embaixadora do governo Betazoide. Como se isto não bastasse, era sua a voz dos computadores da Enterprise tanto na série original como em The Next Generation. Ah, Majel Barrett casou-se com o criador de Star Trek, Gene Roddenberry.

Todo o conceito da série Star Trek já aparece em The Cage, ainda que de forma embrionária em alguns aspectos. Da paisagem árida de Talos IV (quantos planetas repletos de rochas de isopor ainda veríamos?) à formação da tripulação da Enterprise (um médico, o Dr. Boyce, em papel importante, que mais tarde seria preenchido pelo Dr. Leonard McCoy e pela doutora Beverly Crusher). Outra constante seriam os alienígenas de forma humanóide, uma exigência da produção para que os papéis pudessem ser interpretados por pessoas usando máscaras e evitando dispendiosos efeitos especiais. Mesmo assim, em The Cage Roddenberry teve uma solução engenhosa para dar um certo ar de estranheza aos Talosians: foram todos interpretados por mulheres e dublados por vozes masculinas. Assim, conseguiu o aspecto frágil que queria para os alienígenas cabeçudos. Star Trek ainda era pouco mais que uma idéia promissora na cabeça de Roddenberry, mas The Cage, apesar de recusada pela NBC, já mostrava muito do potencial da série e de seu autor.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.