burburinho

buck rogers e dick tracy

quadrinhos por Nemo Nox

As primeiras histórias em quadrinhos eram quase todas de teor humorístico, o que lhes valeu o nome de comics nos EUA. Mas tão logo o novo meio de expressão se viu aceito e fortalecido, novas séries surgiram trazendo a aventura como atração.

Buck RogersTalvez por influência do clima sombrio da depressão econômica, temas mais sérios aumentaram de importância no entretenimento norte-americano. Na virada da década de 20 para a de 30, começaram a ser publicados dois títulos que deixariam profundas marcas na história dos quadrinhos: Buck Rogers e Dick Tracy.

O romance de ficção-científica Armageddon 2429 AD, escrito por Philip Nowlan, foi a inspiração inicial da série Buck Rogers, que debutou em 1929 com ilustrações de Richard Calkins e textos adaptados por John Dille. A Terra do século XXV está dominada pelos chinos, uma raça chefiada pelo diabólico Killer Kane, e cabe a Buck Rogers e seus amigos (entre eles, sua noiva Wilma Dering, o jupiteriano Talan e o marciano Inaldo) combater a tirania. As aventuras evoluíram rapidamente, ultrapassando o cenário terrestre e levando a trama para os confins do sistema solar. Alguns aparelhos corriqueiros na ficção-científica de hoje apareceram pela primeira vez nos quadrinhos nas tiras de Buck Rogers, como por exemplo o motor de propulsão individual, carregado nas costas como uma mochila e permitindo que os personagens voassem.

Buck Rogers foi um grande sucesso, e gerou muitos imitadores. Um deles, lançado cinco anos depois, repetiria o tema da ameaça oriental e acabaria por superar o original: Flash Gordon. Depois que Calkins deixou de desenhar Buck Rogers, a tarefa passou a ser de Murphy Anderson. Mais tarde, a série passaria também pelas mãos do excelente Frank Frazetta. No Brasil, Buck Rogers foi publicado pela primeira vez em 1935, no Suplemento Juvenil.

Dick TracyDick Tracy não foi o primeiro detetive dos quadrinhos, mas certamente foi o primeiro a atingir o sucesso e a abrir caminho para uma legião de sucessores. Antes dele, algumas tentativas frustradas foram feitas com Alex the Cop, Mr.Wiseguy the Detective e Hawkshaw the Detective. Em plena era da lei seca e do gangsterismo, porém, o cenário estava pronto para receber alguém como Dick Tracy, o policial destemido e pragmático, sempre pronto a combater o crime, aqui representado por vilões perigosos e inesquecíveis como Flattop, Pruneface, Mumbles, Itchy, Rhodent e muitos outros.

Assim, em 1931 o Chicago Daily News lançou a sua nova série, criação de Chester Gould, Dick Tracy. Com a ajuda de Coleman Anderson, que finalizava os desenhos, e de seu irmão Roy Gould, que fazia as legendas, Chester transformou o seu personagem num símbolo da luta do bem contra o mal. Em 1977, passou a série para o desenhista Rick Fletcher e para o roteirista Max Allan Collins.

Dick Tracy era violento e completamente maniqueísta, e foi muitas vezes acusado de fascista (por seus métodos de ação) e de alienado (por perseguir somente os meliantes miúdos e ignorar o crime como problema social). Era também, e disto não há dúvida, muito resistente. De acordo com os cálculos de Herb Galewitz, estudioso da obra de Gould, Dick Tracy sofreu 27 ferimentos de arma de fogo somente em seus primeiros 30 anos de vida. Além disto, foi também vítima de costelas quebradas, cegueira temporária, contusões e luxações várias, e chegou até a ser internado em estado crítico necessitando de máquinas de apoio para continuar respirando. Mesmo assim, continua hoje a combater o crime em jornais de todo o mundo.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.