burburinho

pensando diferente

miscelânea por Hernani Dimantas

Acredito na liberdade. Na idéia que podemos recriar o mundo através da revolução digital. Seria apenas elucubração? Coisa de doido? Penso que não. O resgate da voz humana é muito mais importante do que qualquer ladainha comercial que estejamos vivenciando nestes primórdios da era do conhecimento.

Uma análise superficial da história da humanidade mostra que todas as mazelas são originárias da sede do homem pelo poder econômico. Quem tem dinheiro manda. E quem não tem é obrigado a conviver com as frustrações de uma sociedade injusta. Mas a promessa da internet é outra. A interconexão das pessoas favorece a conversação. Internautas estão conectados, liberando suas opiniões de forma caótica e revolucionária. A rede está sendo influenciada por idéias mais filosóficas e os questionamentos de "quem somos?", "o que queremos?" e "para onde caminhamos?" estão penetrando cada vez mais no emaranhado de bytes.

Vivemos um novo bom senso. Onde antigas verdades impostas estão sendo substituídas por outras idéias. Cada vez mais o humanismo se aproxima da tecnologia. Isso não significa que esquecemos o passado. Continuamos humanos, cheios de equívocos, conflitos e erros. A diferença é que começamos a admitir que estamos levando o mundo para uma destruição real. Acredito que isso não é bom para ninguém. Como pensar no futuro dos nossos filhos se entregamos a vida repleta de guerras, interesses escusos e pela busca frenética pelo dinheiro? Isso não leva a parte alguma. Temos que rever os conceitos e recriar uma nova verdade.

Na rede tudo pode ser diferente. Pois a conversação favorece a ressurreição das pessoas comuns. Indivíduos cansados dessa auto-exploração. Os mercados estão se reorganizando. Isso é vibrante. Estamos começando a ouvir nossa voz outra vez. Como o canto das sereias. Estamos construindo um admirável mundo novo. Muito melhor. É exatamente para isto que serve a web.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.